Festival Letras, Flores e Vinhos | O Livro
Letras, Flores e Vinhos, um festival que reúne turismo, cultura, gastronomia e negócios. Guaramiranga 2013
festival, guaramiranga, turismo, cultura, gastronomia, negócios, festival cultural, festival gastronômico, flores, cultura de flores, ceará, serra
159
page-template-default,page,page-id-159,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,boxed

O Livro

Festival "Letras, Flores e Vinhos" 31/OUT e 01/NOV de 2015 - III Edição - Guaramiranga e Mulungu - CE
 

DOMINGO – 01 DE NOVEMBRO(VÉSPERA DE FERIADO)

PROGRAMAÇÃO ESPECIAL NO ECOHOTEL VALE DAS NUVENS, NO MUNICÍPIO DE GUARAMIRANGA:

PRÉ-LANÇAMENTO DO LIVRO “GUARAMIRANGA: HISTÓRIA & MEMÓRIA”

Pré-lançamento do livro “Guaramiranga: História & Memória”, de autoria do professor Levi Jucá, que traz o resgate histórico do município de Guaramiranga

Horário: 11h

 

RELEASE – GUARAMIRANGA: HISTÓRIA & MEMÓRIA

Foto02O historiador Levi Jucá, autor de “Pacoti: História & Memória”, lançado em 2014 pela Editora Premius, prepara o segundo volume da coleção sobre o passado dos municípios do Maciço de Baturité. Trata-se de “Guaramiranga: História & Memória”, fruto de cuidadosa pesquisa realizada nos mais diversos acervos, dentre eles os do Arquivo Público do Estado do Ceará, Biblioteca Pública Gov. Menezes Pimentel e da Fundação Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.

Mesmo com rigor historiográfico, o autor constrói uma narrativa leve e dinâmica ao abordar a formação política, social e cultural do município, buscando preencher lacunas e revisar inconsistências presentes em textos e demais obras escritas anteriormente sobre a cidade. Nesse sentido, seu livro anterior recebeu uma interessante crítica da historiadora Mary del Priore (RJ), autora de best-sellers sobre a história do Brasil: “Levi Jucá faz o prodigioso esforço de uma história total, como diriam os franceses: da geografia à política, da economia ao cotidiano. Parabéns! Maravilhoso! O texto é fluído e faz Pacoti caber em todos os corações. Vamos juntos no mesmo projeto: história para todos!”

A colonização da Serra de Baturité, no interior do Ceará, antigamente habitada por nações índias como as dos jaguaribaras e anassés, teve início ainda em fins dos setecentos. Mas somente ao longo do século XIX, que diversos sítios se formaram pela produção da cana-de-açúcar e o café. Assim, foram para a serra muitos sertanejos, em consideráveis levas migratórias, que buscavam melhores condições de vida, estabelecendo-se como moradores desses sítios, aonde o trabalho acontecia nos roçados, engenhos, casas-de-farinha…Foto03

Um desses sítios chamava-se Conceição, que logo veio a ser povoado, distrito policial, sede da primeira freguesia serrana e, finalmente, município de Guaramiranga em 1890. Por seu clima ameno e bela paisagem tornou-se a “capital turística” da região, primeiro como sanatório de enfermidades respiratórias, depois como paraíso de veraneio e palco de festivais culturais.

Hoje, com aproximadamente 4.000 habitantes, Guaramiranga é o menor município cearense, em território e população, e procura vencer diversos obstáculos para a sua preservação. Isto porque, inserido no cinturão verde da Área de Proteção Ambiental – APA, o município tem deveres de conservação para com o meio ambiente, nosso maior bem. E ainda ao reconhecer os passos dados até aqui, tenta revitalizar o patrimônio cultural instituído, como se verá neste livro, em tantos anos de história e memória.

 

Sobre o autor:Foto01

Francisco Levi Jucá Sales é licenciado em História pela Universidade Federal do Ceará – UFC e professor da rede pública estadual. É natural de Fortaleza, mas com raízes familiares em Pacoti – CE, onde reside e desenvolve projetos sobre a histórica local e de educação e preservação patrimonial, como a organização do Arquivo Público Municipal e do Ecomuseu de Pacoti.